A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo

Clique na capa do livro para começar a ler “A Moreninha”

Você também pode encontrar este livro em: Google Drive | AnonFiles

INFORMAÇÕES SOBRE O LIVRO
Título: A Moreninha
Autor: Joaquim Manuel de Macedo
Gênero(s): Romance, Narrativo
Ano de Lançamento: 1844
Formato: .pdf
SINOPSE

Três jovens rapazes, Augusto, Leopoldo, Fabrício e Filipe vão à Paquetá. Todos estão animados para a viagem, menos Augusto. Filipe comenta da presença de suas primas e sua irmã na casa da avó e propôs um desafio ao amigo: se Augusto não se apaixonar por alguma das moças, deverá escrever um romance sobre a sua história.

Augusto ri ao ficar sabendo que o namoro de Fabrício e D. Joaninha não vai nada bem por ela exigir coisas absurdas do rapaz, como usar lenços cor-de-rosa em bailes para combinar com a fita do cabelo dela. Ele sempre foi o conselheiro de Fabrício durante o romance. Chegando em Paquetá, os rapazes começam a se provocar para ver se Augusto, tido como inconstante no amor, conseguiria uma namorada.

Depois de várias provocações e conversas não muito agradáveis para ele, apenas D. Ana não o isolou. Todas as outras moças não quiseram mais saber de Augusto. Neste passeio, os dois conversam sobre amores passados e decepções. Ana conta para Augusto que a gruta, na qual eles estão conversando, existem poderes mágicos, especialmente na água. Quem beber dela será capaz de adivinhar os sentimentos alheios e não sairá da ilha sem se apaixonar.

De repente um grito chama a atenção de todos da casa. Foi D. Carolina, a Moreninha, assustada ao ver D. Paula caída ao chão, quem gritou.  À noite deste dia, todos foram a um sarau. Augusto dançou e jurou amor eterno à todas as moças e encontrou vários bilhetes no paletó para encontros em frente à gruta. Chegando lá ele encontra todas elas que brigam com ele. Augusto conta das conversas das moças que tinha ouvido. Apenas D.Carolina, a irmã de Filipe fica e os dois conversam e no decorrer da história se apaixonam.

BIOGRAFIA DO AUTOR

Joaquim Manuel de Macedo (1820-1882) foi escritor brasileiro. “A Moreninha” é considerado o primeiro romance verdadeiramente representativo da literatura brasileira. Foi professor de História do Brasil no Colégio Pedro II, e preceptor dos netos do Imperador Pedro II. É Patrono da cadeira nº 20 da Academia Brasileira de Letras.

Joaquim Manuel de Macedo (1820-1882) nasceu em Itaboraí, Rio de Janeiro, no dia 24 de junho de 1820. Formou-se em Medicina, pela Faculdade do Rio de Janeiro, mas nunca exerceu a profissão, seduzido pela carreira literária e pelo magistério. Foi professor de História no Colégio Pedro II, e preceptor dos netos do Imperador Pedro II.A obra de Macedo representa todo o esquema e desenvolvimento dos romances iniciais, com linguagem simples, tramas fáceis, descrição de costumes da sociedade carioca, suas festas e tradições, pequenas intrigas de amor e mistério, um final feliz com a vitória do amor. Com o romantismo, nasce a prosa de ficção brasileira. “A Moreninha”, foi seu primeiro romance, que teve grande aceitação. Joaquim de Macedo foi o autor mais lido na sua época.

Poeta e teatrólogo de grandes recursos, Macedo produziu inúmeros trabalhos literários, nesses dois gêneros, além de uma vasta coleção de romances que o colocaram entre os melhores e mais fecundos prosadores brasileiros.

Noutros gêneros, escreveu: Lições de História do Brasil (didático) (1861), Noções de Corografia do Brasil (didático) (1873), Ano Biográfico Brasileiro (1876), Efemérides Históricas do Brasil e Mulheres Célebres (1878). Depois da sua morte, ainda foi publicado o romance Amores de um Médico. Joaquim Manuel de Macedo é o patrono da Cadeira nº 20 da Academia Brasileira de Letras.

Joaquim Manuel de Macedo morreu no Rio de Janeiro, no dia 11 de abril de 1882.

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Leave a Reply

Seleção de Resenhistas! – Participe e Ganhe Muitos Livros CLIQUE AQUI