O Alienista, de Machado de Assis

Leia a Resenha do Livro “O Alienista”

Clique na capa do livro para começar a ler “O Alienista”

Você também pode encontrar este livro em: Google Drive | AnonFiles

INFORMAÇÕES SOBRE O LIVRO
Título: O Alienista
Autor: Machado de Assis
Gênero(s): Narrativo, Novela, Suspense
Ano de Lançamento: 1882
Formato: .pdf
SINOPSE

O Alienista conta a história de Simão Bacamarte, um médico português que constrói um hospício chamado Casa Verde, no Rio de Janeiro, para confinar os alienados mentais no mesmo ambiente e assim estudar os distúrbios. Simão começa a internar na instituição pessoas aparentemente sãs, mas não para as idéias do doutor.

A situação começa a ficar tensa até o ponto onde aqueles que ainda estavam fora do hospício tramam uma rebelião. Em um primeiro momento, Simão revela autoridade e perspicácia, demonstrando-se mais inteligente que os rebeldes. Porém, os soldados do Rei chegam ao local, se unem aos revoltosos e o hospício é ameaçado.

Mas a revolução não pretende derrubar o hospício e libertar os “doentes”. Eles apenas queriam que Simão liberasse alguns enfermos com base em novos conceitos de loucura. Mas o médico, muito pelo contrário, determina que o líder da revolução também é insano e interna mais de 50 pessoas na instituição.

Tudo para o Dr. Bacamarte é sinônimo de loucura e nem mesmo sua esposa, D. Evarista, escapa de uma internação. Em outra atitude surpreendente, o médico inverte os papéis e determina que os sãos são os loucos e vice-versa. Ele divide os “loucos” em diferentes tipos e ensina valores a cada enfermo. Em menos de um ano, a instituição fica vazia.

Porém, nessa inversão de papéis, Simão Bacamarte se dá conta de que ele é… louco. Ele se interna para curar sua insanidade.

BIOGRAFIA DO AUTOR

Joaquim Maria Machado de Assis é considerado um dos mais importantes escritores da literatura brasileira. Nasceu no Rio de Janeiro em 21/6/1839, filho de uma família muito pobre. Mulato e vítima de preconceito, perdeu na infância sua mãe e foi criado pela madrasta. Superou todas as dificuldades da época e tornou-se um grande escritor.

Na infância, estudou numa escola pública durante o primário e aprendeu francês e latim. Trabalhou como aprendiz de tipógrafo, foi revisor e funcionário público.

Publicou seu primeiro poema intitulado Ela, na revista Marmota Fluminense. Trabalhou como colaborador de algumas revistas e jornais do Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de letras e seu primeiro presidente.

Podemos dividir as obras de Machado de Assis em duas fases: Na primeira fase (fase romântica) os personagens de suas obras possuem características românticas, sendo o amor e os relacionamentos amorosos os principais temas de seus livros. Desta fase podemos destacar as seguintes obras: Ressurreição (1872), seu primeiro livro, A Mão e a Luva (1874), Helena (1876) e Iaiá Garcia (1878).

Na Segunda Fase ( fase realista ), Machado de Assis abre espaços para as questões psicológicas dos personagens. É a fase em que o autor retrata muito bem as características do realismo literário. Machado de Assis faz uma análise profunda e realista do ser humano, destacando suas vontades, necessidades, defeitos e qualidades. Nesta fase destaca-se as seguintes obras: Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881), Quincas Borba (1892), Dom Casmurro (1900) e Memorial de Aires (1908).

Machado de Assis também escreveu contos, tais como: Missa do Galo, O Espelho e O Alienista. Escreveu diversos poemas, crônicas sobre o cotidiano, peças de teatro, críticas literárias e teatrais.

Machado de Assis morreu de câncer, em sua cidade natal, no ano de 1908.

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Leave a Reply

Seleção de Resenhistas! – Participe e Ganhe Muitos Livros CLIQUE AQUI